Archive for the Crise japonesa Category

Agência pode rever para baixo classificação de crédito do Japão

Posted in Crise japonesa with tags on 26 de janeiro de 2010 by vistoconsular

da Reuters, em Tóquio

A agência de classificação de risco Standard & Poor’s reduziu nesta terça-feira a perspectiva para a nota de crédito do Japão, citando um espaço reduzido para manobras na política fiscal e desapontamento sobre os planos de consolidação fiscal do novo governo.

“A mudança na perspectiva reflete nossa visão de que a menor flexibilidade de política econômica do Japão pode levar a uma redução [na classificação], a menos que sejam tomadas medidas para conter as pressões fiscais e de deflação”, disse a S&P em comunicado.

“Além disso, as políticas do governo do Partido Democrático sugerem um ritmo de consolidação fiscal mais lento do que prevíamos anteriormente.”

A S&P reduziu a perspectiva sobre a avaliação da dívida de longo prazo de estável para negativa –a nota, no entanto, foi mantida em “AA”.

A dívida pública do Japão está se aproximando de 200% do PIB (Produto Interno Bruto), o maior patamar entre os países desenvolvidos.

A S&P disse que o fraco desempenho econômico do Japão e a falta de iniciativas políticas que poderiam estimular a atividade pode levar a uma redução na nota do país em um grau.

Michelin fecha fábrica de Ota (crise no Japão)

Posted in Crise japonesa with tags , on 16 de janeiro de 2010 by vistoconsular

A unidade tem 380 funcionários que devem ser remanejados ou apresentados a outras empresas

O grupo francês fabricante de pneus Michelin, anunciou na sexta-feira (15) o fechamento, em julho, de sua fábrica em Ota, Gunma. A unidade tem 380 funcionários.

Os custos de produção em Ota são mais elevados que em outras unidades, disse a Michelin.

Em 2006, a produção passou por uma reformulação para reduzir os custos e, a partir de 2007, se concentrou na fabricação de pneus complexos, como os modelos para o inverno. A crise iniciada em 2008 agravou a situação.

Unidades da Michelin na Ásia, Europa e EUA, vão cobrir a produção de Ota.