Archive for the empresas japonesas Category

Nova regra no Japão prevê multa à empresa que não obrigar funcionário a tirar férias remuneradas

Posted in empresas japonesas, Japão, Notícias with tags , on 4 de março de 2019 by vistoconsular

A multa pode chegar a ¥300 mil pelo não cumprimento dessa nova regra

sistema de férias
A partir de abril, entram em vigor no Japão novas regras relacionadas ao sistema de férias remuneradas (nenji yuukyuu kyuuka / 年次有給休暇) e as empresas que não obrigarem seus funcionários a tirar o benefício poderão ser multadas.

Pelas novas regras que começam a vigorar em 1º de abril, o empregador será obrigado a pedir ao funcionário para tirar férias remuneradas de cinco dias ou mais por ano, caso ele tenha direito ao benefício.

Atualmente, o trabalhador precisa fazer o pedido e muitas empresas não avisam o funcionário dos seus direitos.

Ou seja, o empregador será obrigado a dar as férias, mesmo que o funcionário não faça a solicitação.

Segundo o advogado Nobuharu Nishikawa, do Serviço de Consultas Jurídicas de Osaka, a multa pode chegar a ¥300 mil pelo não cumprimento dessa nova regra.

Mas a empresa também pode ser processada e seus responsáveis presos pela já existente Lei de Normas Trabalhistas, caso se recuse a conceder o benefício aos funcionários que fizeram o pedido, o que configura uma infração.

As férias remuneradas de no mínimo 10 dias por ano são um direito que todos os trabalhadores têm, mas nem todas as empresas concedem por diversos fatores, como falta de mão de obra ou porque os próprios funcionários não fazem a solicitação.

O benefício é concedido a partir de seis meses de trabalho e todos os empregados com mais 80% de frequência possuem direito ao descanso de 10 dias, período que vai aumentando um dia por ano até chegar ao limite de 20 dias.

As férias caducam em dois anos. Por exemplo, o benefício de 2018 perde a validade se o trabalhador não descansar até 2020.

Os japoneses aproveitam apenas 50% das férias remuneradas e estão abaixo de todos os 19 países consultados em uma pesquisa divulgada no ano passado pelo site de viagens Expedia Japan.
Fonte: Alternativa

Primeiro-ministro do Japão pede que empresas aumentem salários em 3% ou mais

Posted in empresas japonesas, Notícias, primeiro ministro do Japão with tags , , , on 26 de dezembro de 2017 by vistoconsular

Aumento vai fortalecer ciclo econômico positivo e conter deflação, disse premiêshinzoabeO primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, pediu às empresas que aumentem os salários em 3% ou mais no próximo ano.

Com o pedido, o primeiro-ministro mantém a pressão sobre as empresas e amplia políticas de estímulo ao crescimento econômico, conhecidas como “Abenomics”.

“Devemos sustentar e fortalecer o ciclo econômico positivo do Japão no próximo ano para alcançar nosso objetivo de longo prazo de vencer a deflação”, disse Abe em discurso.

“Por isso, eu gostaria de pedir às empresas que aumentem os salários em 3% ou mais (no próximo ano)”, disse ele.

No Japão, os salários das grandes empresas têm subido pouco mais de 2% a cada ano desde 2014, mostraram os dados do governo, e um aumento de 3% ou mais no próximo ano ajudaria o Banco do Japão a atingir a meta de inflação de 2%.
Fonte: G1 com Reuters

1,2 milhão de empresas no Japão correm o risco de fechar por falta de sucessores

Posted in empresas japonesas, Notícias with tags , , on 12 de outubro de 2017 by vistoconsular

Falta de sucessores pode levar ao fechamento de muitas pequenas e médias empresas que estão há muito tempo no mercadoHagoromo ChalksCerca de 1,27 milhão de pequenas e médias empresas no Japão correm o risco de fechamento devido à falta de sucessores. Já, cerca da metade das empresas que encerram seus negócios o fazem apesar de estarem no positivo.

Visto que mais de 60% dessas empresas serão administradas por gerentes com mais de 70 anos de idade até 2025, a crise só vai se intensificar.

O governo está lutando para prevenir que essas empresas morram em massa. O fechamento de tais empresas não apenas enfraqueceria o pilar da indústria japonesa, mas também resultaria na perda de tecnologia exclusiva.

Sem sucessores
No distrito de Sumida (Tóquio), à sombra do marco Tokyo Skytree, a Okano Kogyo produz agulhas hipodérmicas ultrafinas indolores. A empresa que trabalha com metais, fundada em 1924, é reconhecida internacionalmente por sua tecnologia única, mas o presidente Masayuki Okano, de 84 anos, está pessimista sobre o futuro.

“Estou pensando em fechar a empresa dentro de dois anos,” diz Okano com uma calma sugerindo que ele alcançou um tipo de entendimento sobre a situação. “Não há ninguém para assumir o comando, já´que minhas duas filhas foram para caminhos diferentes”, diz ele.
Okano Kogyo

Há dois anos, o fechamento da Hagoromo Chalks causou angústia em todo o mundo, principalmente aos matemáticos. O produto forte e sem poeira da empresa com 82 anos de história, era considerado o “Rolls Royce” do giz, mas seu presidente, Takaysau Watanabe, optou pelo fechamento porque ele não tinha um sucessor.

Mercado para fusões de pequena escala e aquisições
Cerca de 29.583 das pequenas e médias empresas do Japão fecharam temporariamente ou permanentemente em 2016, de acordo com a Tokyo Shoko Research. Esse número representa um aumento acentuado das cerca de 21 mil em 2007. O encolhimento populacional está cada vez mais levando aos fechamentos.

Para lidar com o problema em uma escala mais ampla, muitos dizem que o Japão deveria ter um mercado para fusões de pequena escala e aquisições para que investidores possam se aproximar com mais facilidade de tais empreendedores. A França, por exemplo, tem uma base de dados nacional de informação sobre empresas que buscam vender.

Tal mercado facilitaria para que investidores asiáticos se envolvessem também. A ajuda do exterior é certamente uma opção se ela ajuda a evitar os fechamentos em massa e manter a saúde da indústria no Japão.
Fonte: Portal Mie com Nikkei

Canon obtém preferência em negociações por unidade médica da Toshiba

Posted in Canon, empresas japonesas, Toshiba with tags , , on 10 de março de 2016 by vistoconsular
A 2ª rodada de ofertas incluiu participação da Fujifilm e da Konica Minolta

canonA Toshiba garantiu à Canon os direitos exclusivos de negociação envolvendo sua unidade de equipamentos médicos após um leilão muito disputado, com uma reportagem do jornal de negócios Nikkei avaliando a oferta da Canon em mais de 6 bilhões de dólares.

O conglomerado colocou à venda a Toshiba Medical Systems para ajudar a financiar uma reestruturação após escândalo contábil de 1,3 bilhão de dólares. O negócio atraiu um grupo de candidatos, particularmente empresas japonesas de imagens interessadas em se expandirem para produtos e serviços mais lucrativos.

A segunda rodada de ofertas, que teve propostas muito mais altas do que o estimado inicialmente, incluiu participação da Fujifilm Holdings e da Konica Minolta, que se uniu à empresa de aquisições europeia Permira, disseram fontes familiarizadas com o assunto mais cedo.

O jornal Nikkei disse que a Canon havia ganho a melhor posição para adquirir a unidade, não somente porque sua proposta superou os 700 bilhões de ienes (equivalentes a 6,2 bilhões de dólares), mas também porque há pouca sobreposição entre os negócios de equipamentos médicos das duas empresas, causando poucas preocupações de autoridades de defesa da concorrência.

Representantes da Canon e da Toshiba não comentaram o assunto.
Fonte: Alternativa com Reuters

Grandes empresas começam a dar aumento salarial para funcionários não efetivos (keiyaku shain e part time)

Posted in economia do Japão, empresas japonesas, Japão with tags on 24 de março de 2015 by vistoconsular

arubaito-japaoO jornal Asahi trouxe uma matéria (24) tratando da propagação do aumento salarial para os funcionários não efetivos dentro das grandes companhias japonesas, a partir desta primavera. Os alvos são os chamados de keiyaku shain (funcionário com tempo estabelecido em contrato) e part time (trabalho em jornada reduzida).

Um exemplo citado na matéria é da loja de departamentos Daimaru Matsuzakaya que decidiu dar aumento mensal de mil ienes a cerca de 1,5 mil funcionários, o que representa ¼ do quadro de funcionários efetivos.

No caso da KDDI os não efetivos vão receber um aumento mensal de 4.800 ienes, o que significa 2.700 a mais do que aos efetivos. Essa é uma estratégia para diminuir o fosso existente os salários de um efetivo e do não regular.

Para uma rede como Skylark que lida com a falta de mão de obra, cuidar dos existentes é uma grande tarefa. Pensando nisso aumentou em 3,6% o salário dos keiyaku shain.

Redes de supermercado como Aeon e Ityokado e rede de udon decidiram dar aumento salarial aos funcionários do tipo part time e arubaito que ganham por hora. Segundo pesquisa feita pelo jornal, 55 sindicatos de várias categorias obtiveram em média 19,67 ienes de aumento, por hora, para os trabalhadores. Para os sindicatos que negociaram aumentos salariais aos mensalistas, a média ficou na faixa de 1.220 a 4.188 ienes.

A expectativa vai ficar sobre as empresas de pequeno e médio porte e as grandes indústrias manufatureiras. A diferença salarial entre o funcionário efetivo e o não regular chega a 40%. A preocupação é se as empresas que estão aumentando os salários vão conseguir mantê-los no ano que vem.
Fonte: IPC Digital
www.shigoto.com.br
trabalho no japao, emprego, visto e passagem para o japao

Japão: 48% das empresas estão considerando aumento salarial a partir de abril

Posted in empresas japonesas with tags on 23 de fevereiro de 2015 by vistoconsular

yen salarioUma pesquisa realizada pela empresa particular de avaliação de crédito Teikoku Databank, mostrou que quase a metade das empresas no Japão pretendem aumentar os salários a partir de abril de 2015.

A sondagem, que é realizada anualmente e que consultou 10 mil empresas, revelou que 48,3% delas estudam a possibilidade de aumentar o salário básico ou o bônus para trabalhadores regulares no próximo ano fiscal. Em relação à porcentagem anterior, 78% das empresas manifestaram intenção de manter um quadro de funcionários estável.

Convidadas a justificar o possível aumento salarial, as empresas referiram que a intenção – dirigida principalmente aos setores da construção civil e de serviços – está relacionada à escassez de mão de obra.
Fonte: IPC Digital com emissora NHK
www.shigoto.com.br
trabalho no japao, emprego, visto e passagem para o japao

Abe pede novamente que as grandes empresas aumentem os salários

Posted in economia do Japão, empresas japonesas, primeiro ministro do Japão with tags , , on 7 de janeiro de 2015 by vistoconsular

shinzo-abeO primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, voltou a solicitar aos líderes empresariais japoneses que subam os salários para favorecer que a economia japonesa saia de mais de uma década de deflação, informou a agência Kyodo.

O governo decidiu, no final de 2014, baixar o imposto atual pago pelas empresas de 34,62% a 32,11% no final do ano fiscal de 2015 e a 31,33% no final do ano fiscal de 2016.

O primeiro ministro referiu que a decisão do governo de reduzir o imposto pago pelas empresas tem como objetivo possibilitar o aumento do salário pago aos trabalhadores.
Fonte: IPC Digital

%d blogueiros gostam disto: