Archive for the governo japonês Category

Governo do Japão mantém avaliação econômica positiva em dezembro

Posted in Banco do Japão, economia do Japão, governo japonês with tags on 22 de dezembro de 2015 by vistoconsular

"A economia está em uma tendência de recuperação gradual", cita relatório

bancodojapaoO governo do Japão deixou inalterada sua avaliação econômica em dezembro após dados revisados mostrarem que a economia evitou a recessão no último trimestre devido ao aumento dos investimentos.

O governo também manteve a avaliação de que os gastos do consumidor seguem estáveis e que os lucros corporativos estão melhorando devido ao fortalecimento da demanda doméstica.

"A economia está em uma tendência de recuperação gradual, mas há alguns bolsões de fraqueza", disse o Escritório do Gabinete em seu relatório econômico mensal nesta segunda-feira.

O governo manteve a avaliação pessimista sobre as exportações, dizendo que os embarques são fracos devido à desaceleração econômica da China e a preocupações com os mercados emergentes.

A produção industrial enfraqueceu recentemente, inalterada ante o mês passado, segundo o governo.
Fonte: Alternativa com Reuters

Japão contratará enfermeiros brasileiros como estagiários a partir de 2016

Posted in governo japonês, Japão, Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão with tags , on 16 de março de 2015 by vistoconsular

Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do JapãoO COFEN – Conselho Federal de Enfermagem do Brasil anunciou em nota na sua página na internet que o “Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão aprovou um plano que prevê a contratação de mão de obra qualificada para estágio de treinamento no setor de Enfermagem dirigido aos idosos. Além da qualificação profissional, é exigido domínio do idioma local. Os estagiários iniciarão atividades a partir de abril de 2016.”

Segundo o Asia-Pacific Human Rights Information Center, em 2025 a falta de mão-de-obra nessa área subirá para 1 milhão de pessoas. Porém, essa entidade japonesa se posiciona contra a decisão do governo japonês em trazer enfermeiros do exterior, como estagiários, para cobrir a falta dessa mão de obra por motivos da comunicação com a barreira do idioma (mesmo tendo estudado japonês) e da falta de especialização em áreas como a demência, pacientes em fase terminal e uma ampla gama de cuidados com o idoso, o que requer experiência.

A entidade é a favor da criação de um plano de carreira para a pessoa formada em “kaigo” (cuidados e bem estar com os paciente), para incentivá-la a permanecer na função. Em relação aos estrangeiros que estudam kaigo e obtém certificação nos diversos níveis, a entidade posiciona-se a favor.
Fonte: IPC Digital

Japão aceitará mais helpers estrangeiros

Posted in governo japonês, Japão, trabalho no japao with tags , on 27 de janeiro de 2015 by vistoconsular

helper no Japão
O governo japonês adotará medidas para permitir que mais cuidadores estrangeiros possam trabalhar no país, informou nesta segunda-feira (26) a emissora NHK.

Um relatório divulgado na última semana revela que os serviços de enfermagem serão inseridos no programa de capacitação técnica que é oferecido às pessoas de países em desenvolvimento. O governo concederá o status de residente aos estrangeiros que se formarem a partir de instituições de ensino no Japão e obtiverem a licença de cuidador.

Embora exista demanda e o plano de aumentar as contratações de estrangeiros, o governo será cauteloso já que foram registradas irregularidades no programa de capacitação em setores como agricultura e manufatura. Por essa razão, será criado um novo órgão para supervisão e fiscalização.

As mudanças entrarão em vigor no próximo ano fiscal e o programa exigirá um certo nível de proficiência em japonês para os estrangeiros.
Fonte: IPC Digital
www.shigoto.com.br
trabalho no japao, emprego, visto e passagem para o japao

Governo japonês quer mais intérpretes nos hospitais

Posted in governo japonês, intérpretes nos hospitais with tags , , on 3 de novembro de 2014 by vistoconsular

hospital no JapãoCom o objetivo de aumentar a prontidão do país para tratar pacientes estrangeiros em instituições médicas, o governo quer contratar mais tradutores para trabalharem em hospitais estratégicos do Japão.

Os novos profissionais irão atuar inicialmente em 10 hospitais onde há grande concentração de turistas e residentes estrangeiros. Até o ano de 2020, outros 20 hospitais estratégicos contarão com intérpretes de prontidão para atender o grande número de turistas que o país receberá para as Olimpíadas de Tóquio.

Atualmente, os intérpretes que trabalham em hospitais japoneses são treinados pelos municípios onde há grande concentração de estrangeiros residentes, mas não existe nenhuma qualificação oficial para esse tipo de tradução. Serviços particulares de tradução também são oferecidos com custo extra para os pacientes estrangeiros.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar quer formular um padrão unificado para a formação de interpretes que atuam em instituições médicas, determinando um número mínimo de horas de treinamento e até um espécie de residência médica para os futuros intérpretes.

Além de intérpretes presentes em consultas e atendimento médico, o governo quer disponibilizar tradutores que possam auxiliar pacientes estrangeiros no preenchimento de formulários e posologia de medicamentos.

Segundo o Yomiuri Shimbum, o governo também quer criar uma rede nacional de interpretes médicos que designará os profissionais para municípios e instituições onde a demanda por tradutores é esporádica e agendada.

O Ministério da Saúde disse que irá alocar centenas de milhares de ienes de seu orçamento para subsidiar os custos de intérpretes médicos e coordenadores. As regras para a formação desse tipo de profissional serão definidas e divulgadas no ano fiscal de 2015.
Fonte: IPC Digital

Japão planeja uso de um único número de identificação pessoal para impostos, saúde e segurança social

Posted in governo japonês, Japão, Notícias with tags on 21 de junho de 2014 by vistoconsular

Plano é uma iniciativa para reduzir gastos desnecessários

Japão planeja uso de um único número de identificação pessoal para impostos, saúde e segurança socialA partir de janeiro de 2016, todas as pessoas que vivem no Japão poderão utilizar um número único de identificação para efeitos fiscais (impostos) e segurança social, incluindo a aposentadoria. O governo também quer que as instituições de saúde e de enfermagem vinculem esses números para iniciar os novos registros de pacientes a partir do ano fiscal de 2018. Segundo as autoridades, o objetivo é reduzir gastos desnecessários.

O projeto de lei que será proposto pelo governo para o próximo ano fiscal já começou a levantar polêmica porque permitiria a obtenção de dados particulares que serão compartilhados por terceiros sem o consentimento da pessoa.

A vinculação dos números de identificação dos registros médicos possibilitaria acessos à consultas passadas ou a prescrição de medicamentos online incluindo mudança de seguro de saúde, informou o Diário Nikkei.
Fonte: IPC Digital

Japão quer aumentar trabalhadores estrangeiros temporários para a construção

Posted in construção civil no Japão, governo japonês, trabalho no japao with tags on 4 de abril de 2014 by vistoconsular

Atualmente existem cerca de cinco milhões de trabalhadores no setor da construção, número que traduz uma quebra de 30% desde 1997

Japão quer aumentar trabalhadores estrangeiros temporários para a construçãoO Governo japonês aprovou hoje um plano para aumentar a entrada de trabalhadores estrangeiros temporários para a construção civil diante à falta de mão-de-obra no setor e perante os Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020.

O plano vai alargar de três para cinco anos a duração das autorizações que permitem aos cidadãos, sobretudo de países emergentes, trabalhar no Japão temporariamente.

O programa, a ser aplicado entre 2015 e 2020, poderá permitir duplicar até 30 mil o número daqueles que entram legalmente no Japão para trabalhar no setor da construção, indica o Japan Times.

O Japão tem-se deparado ao longo da última década com uma diminuição significativa do número de operários da construção civil, situação que preocupa o Governo para a realização, em 2020, dos Jogos Olímpicos de Tóquio, e a continuação dos trabalhos de reconstrução do desastre de março de 2011.

Neste sentido, uma das estratégias passa por impulsionar a despesa em obras públicas, a qual caiu consideravelmente desde 2001.

Atualmente existem cerca de cinco milhões de trabalhadores no setor da construção, número que traduz uma quebra de 30% desde 1997.

Além disso, este setor vive a braços com o problema do rápido envelhecimento da força laboral do Japão, já que 30% tem idade igual ou superior a 55 anos, enquanto apenas 10% tem menos de 30 anos.

O Governo japonês não descarta a possibilidade de aplicar medidas idênticas para aumentar o número de trabalhadores estrangeiros temporários noutros setores como a indústria e a agricultura, que se deparam com problemas idênticos ao da construção.
Fonte: IPC Digital

Japão: auxílio infantil extra de ¥10 mil

Posted in economia do Japão, governo japonês, primeiro ministro do Japão with tags , , on 5 de dezembro de 2013 by vistoconsular

A medida faz parte do novo pacote do governo, que prevê também a criação de cerca de 250 mil empregos

Novo pacote do governo, que prevê também a criação de cerca de 250 mil empregos O gabinete do primeiro-ministro Shinzo Abe aprovou na quinta-feira (05) um pacote econômico de 182 bilhões de dólares para tirar a economia da deflação, mas permanecem dúvidas sobre o impacto econômico.

O pacote tem um valor total de 18,6 trilhões de ienes (182 bilhões de dólares), que é um número exagerado já que inclui empréstimos de credores apoiados ao governo e gastos de governos locais já planejados.

O cerne do pacote é de 5,5 trilhões de ienes em medidas de gastos que Abe ordenou em outubro para impulsionar a economia antes de um aumento do imposto sobre vendas em abril, e o governo não tem que vender nova dívida para financiar esse gasto.

O pacote levantou preocupações de que o governo do Japão não se afastou de medidas paliativas e decisões de política fragmentadas que alguns dizem terem afetado o crescimento de longo prazo.

"Participantes do mercado querem que o governo foque ainda mais energia em política econômica", disse Hiroshi Miyazaki, economista sênior do Mitsubishi UFJ Morgan Stanley Securities.

"Alguns desses itens, como reconstrução do terremoto, já estavam marcados e não constituem realmente uma estratégia econômica."

As medidas aprovadas na quinta-feira vão acrescentar 1 ponto percentual ao Produto Interno Bruto e criar cerca de 250 mil empregos, de acordo com o governo.

Também prevê a distribuição única de ¥10 mil por criança para famílias que já recebem o auxílio infantil, em forma de uma ajuda extra, quando o imposto sobre consumo subir de 5 para 8 por cento em abril.

O auxílio infantil é um subsídio oferecido mensalmente às famílias de baixa renda, no valor de ¥15 mil para crianças com menos de 3 anos. Acima dessa idade, a ajuda varia de ¥10 mil para os dois primeiros filhos a ¥15 mil para o terceiro filho em diante, até o término do shoogaku. Estudantes do chuugaku recebem ¥10 mil.

O pacote aprovado inclui medidas para impulsionar a competitividade; auxiliar mulheres, jovens e os mais velhos; acelerar a reconstrução após terremoto e tsunami de março de 2011; e construir infraestrutura para a Olimpíada de Tóquio de 2020.

O tamanho total do pacote o equipara com o plano de gastos de 20 trilhões de ienes anunciado por Abe mais cedo neste ano como parte de sua campanha para dar fim a 15 anos de queda de preços e de crescimento fraco do Japão.

trabalhonojapao.com.brO valor principal que geralmente é anunciado pelo governo japonês como medidas econômicas costuma incluir gastos que já foram comprometidos, e tende a exceder bastante a quantia de novos investimentos reais do governo.

Nova emissão de dívida não será necessária já que os novos gastos serão cobertos por receitas tributárias que superaram as projeções iniciais de orçamento devido à recuperação econômica, assim como o uso de fundos não utilizados de outras contas.
Fonte: Alternativa com Reuters