Archive for the Notícias Category

Nova regra no Japão prevê multa à empresa que não obrigar funcionário a tirar férias remuneradas

Posted in empresas japonesas, Japão, Notícias with tags , on 4 de março de 2019 by vistoconsular

A multa pode chegar a ¥300 mil pelo não cumprimento dessa nova regra

sistema de férias
A partir de abril, entram em vigor no Japão novas regras relacionadas ao sistema de férias remuneradas (nenji yuukyuu kyuuka / 年次有給休暇) e as empresas que não obrigarem seus funcionários a tirar o benefício poderão ser multadas.

Pelas novas regras que começam a vigorar em 1º de abril, o empregador será obrigado a pedir ao funcionário para tirar férias remuneradas de cinco dias ou mais por ano, caso ele tenha direito ao benefício.

Atualmente, o trabalhador precisa fazer o pedido e muitas empresas não avisam o funcionário dos seus direitos.

Ou seja, o empregador será obrigado a dar as férias, mesmo que o funcionário não faça a solicitação.

Segundo o advogado Nobuharu Nishikawa, do Serviço de Consultas Jurídicas de Osaka, a multa pode chegar a ¥300 mil pelo não cumprimento dessa nova regra.

Mas a empresa também pode ser processada e seus responsáveis presos pela já existente Lei de Normas Trabalhistas, caso se recuse a conceder o benefício aos funcionários que fizeram o pedido, o que configura uma infração.

As férias remuneradas de no mínimo 10 dias por ano são um direito que todos os trabalhadores têm, mas nem todas as empresas concedem por diversos fatores, como falta de mão de obra ou porque os próprios funcionários não fazem a solicitação.

O benefício é concedido a partir de seis meses de trabalho e todos os empregados com mais 80% de frequência possuem direito ao descanso de 10 dias, período que vai aumentando um dia por ano até chegar ao limite de 20 dias.

As férias caducam em dois anos. Por exemplo, o benefício de 2018 perde a validade se o trabalhador não descansar até 2020.

Os japoneses aproveitam apenas 50% das férias remuneradas e estão abaixo de todos os 19 países consultados em uma pesquisa divulgada no ano passado pelo site de viagens Expedia Japan.
Fonte: Alternativa

Anúncios

Fechamento de fábrica da Honda na Grã-Bretanha gera incertezas econômicas

Posted in economia do Japão, Notícias with tags , on 21 de fevereiro de 2019 by vistoconsular

O ministro dos Negócios disse que o anúncio da montadora japonesa foi um grande golpe

fábrica da Honda
A Honda fechará sua única fábrica de automóveis na Grã-Bretanha em 2021, gerando um corte de até 3.500 empregos, uma grande perda de investimento japonês pouco antes de o Reino Unido deixar a União Europeia.

A montadora, que é responsável por mais de um décimo dos 1,5 milhão de carros fabricados na Grã-Bretanha, disse que a medida não estava relacionada ao Brexit e que precisa concentrar as atividades em regiões onde espera vender a maioria dos carros.

O anúncio do fechamento da fábrica de Swindon, apenas 38 dias antes do Brexit, vem depois de uma série de advertências do Japão de que isso afastaria investimentos se eles deixassem de ser economicamente viáveis ​​depois que a Grã-Bretanha deixasse o bloco.

“Tivemos que considerar a ascensão de veículos eletrificados e as diferentes velocidades em que os veículos elétricos serão utilizados na América do Norte e na Europa”, disse o executivo-chefe da Honda, Takahiro Hachigo. “Esta decisão não foi informada ao Brexit.”

A Honda, que fabrica o carro Civic na Grã-Bretanha e na Turquia, disse que deixaria de fazer o modelo nos dois países. O anúncio acontece pouco mais de duas semanas depois que a montadora japonesa Nissan revogou a decisão de construir um novo SUV na Grã-Bretanha.

A maioria dos carros Civic montados na Grã-Bretanha são exportados para os Estados Unidos, e não para a Europa. A esperada aceleração de veículos elétricos poderia ser coberta pela China e pelo Japão, onde a Honda já planeja produzir em escala.

O ministro dos Negócios da Grã-Bretanha disse que o anúncio da montadora japonesa foi um grande golpe. “Decisões como a da Honda demonstram claramente o quanto se está em jogo”, disse Greg Clark.

“Esta notícia vem no topo de meses de incerteza que… os fabricantes tiveram que suportar sobre o Brexit, sobre o nosso futuro relacionamento com a UE”, disse Clark.

A Honda, a quarta maior montadora na Grã-Bretanha, deixará de produzir em Swindon, no sul da Inglaterra, cerca de 160 mil carros por ano.

O acordo segue as decisões das empresas japonesas de eletrônicos Sony e Panasonic de mudar sua sede da Grã-Bretanha para a União Europeia, enquanto a Hitachi suspendeu um projeto de energia nuclear de 28 bilhões de dólares na Grã-Bretanha em janeiro.

Cerca de mil empresas japonesas estão sediadas na Grã-Bretanha, empregando cerca de 140 mil pessoas, e investiram cerca de US$78 bilhões, segundo a embaixada do Japão em Londres.

A Nissan, a Toyota e a Honda foram encorajadas a investir na Grã-Bretanha nos anos 1980 como uma porta de entrada para a UE e ajudaram a reverter uma indústria automobilística doméstica em dificuldades.

O trio de montadoras japonesas fabrica metade dos carros da Grã-Bretanha e centenas de milhares de motores em todo o país, mas o Brexit pode destruir o comércio livre e sem restrições que os fabricantes confiavam.

Para a Honda, a queda na demanda por veículos a diesel e regulamentações mais rígidas de emissões também prejudicaram as perspectivas de fabricação na Europa, que responde por apenas 3% de suas vendas globais.

A perspectiva na Europa parece sombria, já que as vendas em todos os principais países caíram em janeiro, segundo dados da indústria, com uma queda de dois dígitos prevista na Grã-Bretanha, o segundo maior mercado automotivo da Europa, se houver um Brexit desordenado.

A montadora norte-americana General Motors já se retirou do continente enquanto a Ford está conduzindo uma grande reestruturação.
Fonte: Alternativa com Reuters

Hokkaido oferece bolsa de estudo de ¥2,5 milhões a estrangeiros para formar cuidadores de idosos

Posted in Notícias with tags , , , , on 4 de fevereiro de 2019 by vistoconsular

Japão terá escassez de cerca de 340 mil trabalhadores nessa área em 2025

cuidadores hokkaido
Estudantes estrangeiros de enfermagem em Hokkaido receberão bolsas de estudo de 2,5 milhões de ienes por ano, a partir de abril, para atuar em áreas regionais que enfrentam grave escassez de mão de obra, informou a agência de notícias Kyodo nesta segunda-feira (4).

A iniciativa, uma raridade no Japão, visa atrair mais cuidadores de idosos para áreas fora das grandes cidades. Normalmente, os recém-chegados tendem a trabalhar em grandes centros urbanos, onde podem ganhar melhores salários.

Oitenta por cento dos 2,5 milhões de ienes oferecidos para cada estudante virão da receita tributária coletada pelo governo central e distribuída às províncias.

Os estudantes estrangeiros estarão isentos de devolver todo o dinheiro, desde que trabalhem para uma instalação de cuidados a idosos por três a cinco anos após a graduação.

Embora tenha havido casos de municípios que concedem bolsas de estudo a estrangeiros, “nunca ouvi falar de uma pessoa recebendo uma bolsa tão grande de 2,5 milhões de ienes por ano”, disse um funcionário do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar.

Ichiro Matsuoka, prefeito de Higashikawa (Hokkaido), aprovou a nova iniciativa de bolsas de estudo. “Queremos formar cuidadores altamente comunicativos”, disse.

Estima-se que o país terá uma escassez de cerca de 340 mil cuidadores no ano fiscal de 2025. Mas o número de japoneses matriculados em escolas de cuidadores continua caindo, e os estrangeiros se tornaram uma opção para atuar nessa área.
Fonte: Alternativa

Subaru com produção parada em Gunma

Posted in Gunma, Notícias, produção de veículos with tags , , , on 23 de janeiro de 2019 by vistoconsular

A montadora Subaru está com a produção suspensa em Gunma

subaru ota gunma
A única planta de veículos acabados da montadora Subaru, a Gunma Manufacturing, em Ota, está com a produção suspensa desde a noite de 16 deste mês.

Segundo a imprensa, ainda não há previsão de retorno da produção na planta que fabrica 9 modelos da montadora.

Foi encontrado um problema nas peças fornecidas por um outro fabricante. Ainda não foi encontrada a causa do problema e o fornecimento está parado. Isso já afetou a produção de mais de 10 mil unidades de veículos.

A montadora prevê atrasos na entrega de novos veículos encomendados pelos clientes.

Segundo o jornal Asahi o problema foi detectado na direção assistida elétrica, motor que ajuda na operação do volante. A montadora está com dificuldade de encontrar substitutos que atendam ao padrão de desempenho da própria Subaru imediatamente.

A empresa já informou que na quinta-feira a produção continua suspensa. E, sem perspectiva da retomada, apesar de ter como plano reiniciar em 28 da próxima semana.

A previsão de 1,03 milhão de unidades para 2019 deverá ficar comprometida, pois a planta de Gunma produziria 650 mil. Se a suspensão se prolongar o desempenho da montadora deverá ser afetado.

Nenhuma das fontes consultadas explicou sobre os funcionários e trabalhadores. Há cerca de 400 trabalhadores brasileiros na indústria.
Fonte: Portal Mie com Mainichi, Asahi e FNN

Abe pede a líderes empresariais que aumentem salários de trabalhadores

Posted in Notícias, primeiro ministro do Japão with tags on 26 de dezembro de 2018 by vistoconsular

O primeiro-ministro japonês citou como meta uma média de 5%

shinzoabe1
O primeiro-ministro Shinzo Abe pediu nesta quarta-feira (26) aos líderes empresariais que aumentem os salários dos trabalhadores para estimular o consumo e reduzir o impacto da alta do imposto sobre consumo (shouhizei) em outubro de 2019, informou a agência de notícias Kyodo.

“Eu gostaria de pedir um aumento salarial aos funcionários que fortaleça ainda mais o ímpeto ascendente da economia”, disse Abe em uma reunião da Federação de Negócios do Japão, o mais poderoso grupo empresarial do país, conhecido como Keidanren.

Abe não quis especificar qual deveria ser o aumento em 2019, mas citou como meta uma média de 5 por cento, o dobro do valor deste ano.

O primeiro-ministro fez o pedido antes das negociações salariais anuais entre os sindicatos e os trabalhadores na próxima primavera, visando combater qualquer queda na demanda doméstica prevista para quando o imposto sobre consumo aumentar dos atuais 8% para 10%.

No ano passado, Abe pediu aos líderes empresariais que aumentassem os salários em 3% no ano fiscal de 2018, que termina em março, para estimular o consumo privado e combater a deflação crônica.

Mas muitas empresas continuaram cautelosas em reduzir suas reservas de caixa para aumentar os salários.

A administração da Toyota Motor, considerada uma referência para as demais empresas, decidiu nas negociações salariais anteriores não divulgar o valor de sua oferta de base salarial, refletindo o desejo de não influenciar as negociações de outras companhias.

Para as próximas negociações salariais, as empresas precisarão avaliar se devem tomar medidas ousadas, considerando as perspectivas persistentemente incertas para a economia global em meio ao atrito comercial entre os Estados Unidos e a China.
Fonte: Alternativa

Japão planeja aumentar devolução de aposentadoria a estrangeiros que saírem do país

Posted in governo japonês, Notícias with tags , , , , , on 10 de dezembro de 2018 by vistoconsular

O governo estuda elevar o período de cálculo de três para cinco anos

aposentadoria a estrangeiros
O governo japonês está estudando uma medida para aumentar o valor da devolução da taxa de aposentadoria que os contribuintes estrangeiros têm direito de receber quando deixam o país, informou a agência de notícias Kyodo no sábado (8).

Atualmente, os estrangeiros que pagam aposentadoria pelo sistema público no Japão (kokumin nenkin ou kosei nenkin) podem solicitar a devolução parcial do dinheiro contribuído.

Mas o cálculo do valor da devolução é feito sobre a contribuição de no máximo três anos, mesmo que o estrangeiro tenha pago a aposentadoria por mais tempo no país.

O governo planeja aumentar o período de cálculo de três para cinco anos, elevando também o valor da devolução a ser recebido depois que o contribuinte estrangeiro sair do Japão.

No caso dos brasileiros, no entanto, o pedido de devolução pode não compensar por causa do acordo previdenciário entre Brasil e Japão, que permite somar o tempo de contribuição nos dois países para que o trabalhador possa se aposentar.

A proposta feita pelo governo surge após o Parlamento ter aprovado uma lei que permite a entrada de mais trabalhadores estrangeiros no país a partir de abril do ano que vem.

Os estrangeiros não qualificados poderão trabalhar no Japão por até cinco anos, e nesse período eles serão obrigados a pagar os planos de seguro de saúde (shakai hoken) e de previdência (kosei nenkin).

Pelo atual sistema, eles receberiam apenas a devolução referente a três anos e perderiam dois anos de contribuição. O governo quer acabar com essa diferença e ampliar o período de cálculo.

Informações em português sobre o sistema de devolução estão disponíveis aqui.
Fonte: Alternativa

Pesquisa: 44% são a favor de mais trabalhadores estrangeiros no Japão; 42% se opõem ao projeto

Posted in Notícias with tags , , on 19 de novembro de 2018 by vistoconsular

Dois terços querem que os políticos levem mais tempo para discutir a questão

construcao civil japan
As opiniões ficaram divididas sobre o plano do governo de aceitar mais trabalhadores estrangeiros para setores que enfrentam escassez de mão de obra, e dois terços querem que os políticos levem mais tempo para discutir a questão, segundo a última pesquisa de opinião pública do jornal Mainichi realizada em 17 e 18 de novembro.

Cerca de 42% dos 982 participantes da pesquisa telefônica se opuseram ao plano do governo de criar dois novos status de residência revisando a Lei de Controle de Imigração e Reconhecimento de Refugiados para que 14 setores como construção e cuidados de enfermagem possam contratar mais trabalhadores estrangeiros a partir de abril de 2019. A proporção de oponentes aumentou 10 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior realizada em outubro. Aqueles que apoiam o plano ficaram em 44%, enquanto 14% não responderam.

Quando questionados sobre a intenção do governo de aprovar as revisões legais durante a atual sessão extraordinária do Parlamento, que terminará em 11 de dezembro, 66% disseram que os legisladores deveriam discutir o assunto sem estabelecer um prazo. Apenas 9% acham que o projeto de lei deve ser aprovado na sessão atual. Cerca de 11% afirmaram que o projeto deveria ser descartado, enquanto 14% não deram opiniões.

Mesmo entre os entrevistados que apoiam o plano do governo, 76% disseram que é necessário mais tempo para discussões no Parlamento sobre a aceitação de mais estrangeiros.

A aparente cautela entre os entrevistados parece indicar suas preocupações com a preparação do governo para a expansão da força de trabalho estrangeira. O Ministério da Justiça, responsável pelas revisões legais relevantes, enfrentou duras críticas por seus erros na compilação dos dados necessários para as discussões sobre o tema.

Os novos vistos de residência incluem um que permite uma estadia de cinco anos, sem poder trazer membros da família, para trabalhadores estrangeiros com um grau definido de conhecimento e experiência. A outra categoria é para trabalhadores especializados que permite a renovação de sua permanência com cônjuges e filhos.

Os 14 setores sob consideração para a aceitação de mais trabalhadores estrangeiros incluem cuidados a idosos, limpeza predial, agricultura, pesca, fabricação de alimentos, trabalho em restaurantes, produção de maquinário industrial, construção civil, construção naval, manutenção de automóveis e hotelaria.
Fonte: Alternativa

%d blogueiros gostam disto: