Mais de 80 estrangeiros, incluindo brasileiros, perdem emprego em Nagano

Posted in Fábrica no Japão, Japão, Notícias with tags , , , , , on 27 de abril de 2020 by vistoconsular

A produção caiu em muitas fábricas por consequência do coronavírus

estrangeiros perdem emprego
Um levantamento do jornal Shinano Mainichi divulgado neste domingo (26) apurou que mais de 80 estrangeiros, incluindo brasileiros, perderam o emprego em abril na região de Kamiina (Nagano), devido à queda no volume de trabalho por consequência do coronavírus.

O jornal enviou perguntas para 20 empreiteiras da região e oito delas disseram ter demitido 81 estrangeiros, incluindo brasileiros, peruanos, chineses, filipinos, tailandeses e trabalhadores de outras nacionalidades.

Seis empreiteiras responderam que, por enquanto, não tinham feito nenhuma demissão devido à queda de trabalho e as seis empresas restantes não se pronunciaram a respeito.

Os estrangeiros que perderam o emprego foram avisados sobre a demissão um mês antes, conforme a legislação trabalhista, segundo o jornal.

Uma das empreiteiras informou que demitiu 42 estrangeiros que trabalhavam em uma fábrica que exportava peças para os Estados Unidos e a Europa, as duas regiões mais afetadas pela pandemia de coronavírus.

Uma outra empreiteira que dispensou seis trabalhadores em abril disse que pode haver mais demissões após o feriado de Golden Week, que termina em 6 de maio, devido à queda na produção das empresas.
Fonte: Alternativa

Benefício dos 100 mil ienes: objetivo e como recebê-lo

Posted in Japão, Notícias with tags , , , , , , , on 20 de abril de 2020 by vistoconsular

O governo anunciou no final da tarde de segunda-feira sobre como proceder para receber o benefício dos 100 mil ienes para a população, incluindo estrangeiros

ajuda 100 mil
O MIC-Ministério de Assuntos Internos e Comunicações do Japão anunciou no final da tarde de segunda-feira (20) as linhas gerais do pagamento do benefício de 100 mil ienes.

Esta é uma das medidas de emergência do governo diante dos efeitos da propagação do novo coronavírus. Será concedido a toda população, incluindo a estrangeira residente, que tenha registro nas prefeituras locais, a partir de 27 deste mês.

Para ser mais específico, todo residente estrangeiro com mais de 3 meses de residência será beneficiado.

Como proceder
Quanto ao procedimento o chefe da família deverá preencher as informações bancárias no formulário de solicitação enviado pela prefeitura ou subprefeitura onde reside. Assim, o valor total da família será depositado nessa conta indicada.

Além disso, para quem possui o cartão My Number, poderá se inscrever online.

Quer recusar?
Se algum membro da família não deseja receber o benefício basta informar no formulário e a essa pessoa não será feito o pagamento.

Período do benefício e data de recebimento
Cada prefeitura ou subprefeitura deverá estabelecer a data de início das aplicações. O prazo final é de 3 meses a contar desse dia.

O MIC informou que embora cada municipalidade decida sobre o início dos pagamentos estima que as primeiras datas deverão ser em meados do próximo mês.

Objetivo
No pronunciamento feito na manhã de segunda-feira, da residência oficial do primeiro-ministro, Shinzo Abe disse “os efeitos do novo coronavírus estão se prolongando e toda a população está em uma situação difícil. Decidimos pelo benefício de 100 mil ienes por pessoa com a finalidade de superarmos essa difícil batalha de longo prazo junto com os cidadãos deste país”.

Cofre público
Para fornecer um benefício uniforme de 100 mil ienes por pessoa, o governo revisará o orçamento suplementar para o ano fiscal atual e aumentará os gastos adicionais em 8,88 trilhões de ienes a mais do que antes da revisão. Como resultado, será consolidada a política de aumentar o orçamento suplementar para 25,691 trilhões de ienes, expandindo a escala das medidas econômicas de emergência para 117,1 trilhões de ienes.
Fonte: Portal Mie com NHK

Murata de Shimane paralisada para desinfecção: 7 mil funcionários em casa

Posted in Japão, Notícias with tags , , , , on 15 de abril de 2020 by vistoconsular

Um trabalhador da linha de produção está infectado com o novo coronavírus. Para desinfecção da indústria Murata o expediente retorna depois de 3 dias

murata2
Na terça-feira (14) a Murata Seisakusho informou que na sua subsidiária de Izumo (Shimane) um trabalhador testou positivo. Por isso, decidiu paralisar temporariamente a produção para a atividade de desinfecção, até quinta-feira (16).

Essa subsidiária produz capacitores cerâmicos em multicamadas (MLCCs). O testado positivo é um operador, cuja identidade foi preservada, portanto, não foi anunciado se é japonês ou estrangeiro.

Embora seja assintomático 61 colegas que tiveram contato mais próximo foram encaminhados para quarentena, de duas semanas, a partir de terça-feira.

Esse trabalhador esteve no mesmo local, um estabelecimento comercial, onde foi constatado um caso no dia 9. Por isso, foi submetido ao teste PCR em 13, quando o resultado apontou positivo.

A indústria ordenou que 7 mil funcionários fiquem em casa durante o período de desinfecção.

Em 5 deste mês ocorreu o mesmo com a outra subsidiária da Murata, na planta de Fukui.
Fonte: Portal Mie com Kyoto Shimbun e Nikkei

Yamaha anuncia paralisação de fábricas em Shizuoka e Kumamoto no próximo mês

Posted in Fábrica no Japão, Japão, Notícias with tags , , , , , , , , , on 9 de abril de 2020 by vistoconsular

Fábricas vão parar temporariamente em Hamamatsu, Fukuroi, Iwata e Mori

yamaha2
A Yamaha Motor Company anunciou paralisação temporária de todas as fábricas de moto e motor de popa (para embarcações) no Japão durante o mês de maio.

Ao todo, seis fábricas nas cidades de Hamamatsu, Iwata, Fukuroi e Mori (Shizuoka) terão a produção suspensa entre os dias 1 de 19 de maio.

Outras duas fábricas de motor de popa, em Fukuroi e Yatsushiro (Kumamoto) devem parar durante todo o mês de maio.

Segundo informações divulgadas pela emissora NHK, a empresa explicou que a paralisação temporária se deve à queda drástica da demanda por causa da pandemia do novo coronavírus no mundo.

A Yamaha também está sofrendo dificuldades na obtenção de peças fabricadas no exterior, que estão com a entrega atrasada por causa das medidas de quarentena em outros países afetados pelo vírus.

Ainda de acordo com a reportagem, a empresa chegou a realizar paralisações em algumas fábricas no mês passado, mas é a primeira vez que decide paralisar todas as fábricas de produção de motocicletas e motor de popa no país.
Fonte: Alternativa

Federação dos Advogados do Japão inicia consulta gratuita para PMEs

Posted in economia do Japão, Japão with tags , , , , on 1 de abril de 2020 by vistoconsular

Advogados do Japão se reúnem para oferecer consulta gratuita aos empresários das PMEs diante da crise provocada pela propagação do vírus

Federação das Associações de Advogados do Japão

A Federação das Associações de Advogados do Japão (JFBA), entidade similar à OAB, informou que começou o atendimento para consultas gratuitas para as PMEs-pequenas e médias empresas, diante da disseminação do coronavírus no país.

O atendimento jurídico por telefone ou por e-mail começou na quarta-feira (1.º) para sanar dúvidas dos empresários sobre a deterioração do fluxo de caixa como efeito do Covid-19.

Segundo a JFBA, já houve várias consultas sobre o pagamento de salários dos funcionários durante o período de ausência e também sobre capital de giro.

No futuro, também será criado um serviço de aconselhamento jurídico para os trabalhadores para consultas sobre suspensão ou não renovação do contrato de trabalho, demissão e redução significativa nos salários.

“Como a situação é emergencial, gostaria que os empresários que estiverem em situação difícil entrem em contato”, disse Kuninori Oku, o vice-secretário geral da JFBA.

O telefone da linha direta (Himawari Hot Dial) é 0570-001-240 das 10h às 16h nos dias úteis. Caso queira fazer a consulta online pode acessar a página web.
Fonte: Portal Mie com NHK

Montadoras japonesas reduzem pela metade a produção global

Posted in montadoras japonesas, Notícias with tags , , , , , , on 25 de março de 2020 by vistoconsular

As paralisações temporárias de fábricas das montadoras estão causando efeitos de oscilação no setor inteiro que emprega 8.2% da força de trabalho do Japão

montadoras japonesas3
Montadoras japonesas estão reduzindo temporariamente a produção global pela metade, visto que a demanda desaba em meio ao surto do coronavírus, com a Mazda paralisando linhas de montagem domésticas e a Toyota diminuindo a produção no Japão e no exterior.

Paralisações de fábricas das montadoras estão causando efeitos de oscilação no setor inteiro que emprega 8.2% da força de trabalho da nação, levando a Honda a adotar medidas para conter o impacto financeiro sobre fornecedoras.

A Mazda suspenderá a produção em duas de suas fábricas de montagem no Japão, assim como em instalações na Tailândia e no México, sob planos anunciados na terça-feira (24). Os locais paralisados contam por mais de 70% da capacidade global da companhia de 1,8 milhão de unidades ao ano.

Isso segue uma medida similar feita pela Toyota, que anunciou na segunda-feira (23) a suspensão temporária de 7 linhas de produção no país. A principal montadora do Japão já havia suspendido a produção no exterior.

A produção global em 7 montadoras japonesas deve cair em 50% a partir dos níveis de 2019 por enquanto.

A Mazda suspenderá a produção por 13 dias operacionais, com início em 28 de março, na planta de Hiroshima e na planta de Hofu na vizinha Yamaguchi. Os dias de folga serão programados até 30 de abril.

Os cortes no Japão, Tailândia e México reduzirão a produção da companhia em cerca de 60 mil veículos para o período.

A Toyota está suspendendo as operações em linhas de produção em 5 plantas domésticas, com início em 3 de abril. As atividades serão retomadas em estágios até 15 de abril. Isso reduzirá a produção em 36 mil veículos.

Excluindo uma planta em Tóquio operada por uma companhia do grupo, a Hino Motors, as outras 4 instalações da Toyota produziram 1,6 milhão de unidades no ano passado, ou cerca da metade da produção doméstica da companhia.

Nenhum dos cerca de 20 mil funcionários nas 5 plantas do grupo Toyota perderão seus empregos, incluindo trabalhadores temporários. Os funcionários podem escolher tirar férias remuneradas.

As repercussões já estão sendo sentidas pelas fabricantes de peças. A Marelli, formada pela fusão da Calsonic Kansei e da Magneti Marelli, interromperam o trabalho na maioria de suas principais plantas europeias, assim como em vários locais nos EUA.

A Kasai Kogyo, que produz componentes internos, paralisou temporariamente a produção em lugares como a América do Norte, Europa, Índia e Malásia.

“Só no exterior perderemos perto de 15 bilhões de ienes (US$135 milhões) em vendas em um mês”, disse Kuniyuki Watanabe, presidente da Kasai Kogyo.

A indústria de automóveis conta por mais ou menos 3% do produto interno bruto do Japão. O setor empregou 5.46 milhões em 2018, incluindo em fornecedoras de peças e concessionárias.

Os cortes na produção feitos por fabricantes de carros finalizados causarão impacto ascendente nas fornecedoras. Montadoras estão tomando medidas para evitar interrupções devido a problemas financeiros em fabricantes de peças.

A Honda decidiu conceder suporte a companhias que abastecem suas plantas em Wuhan, o epicentro inicial do surto de Covid-19. A Honda estenderá os prazos de pagamentos para as fornecedoras que comprarem folhas de aço e outros materiais da montadora.

A Nissan e a Mazda estão perguntando às suas fornecedoras sobre fluxos de caixa. A Mitsubishi Motors começou a considerar medidas para acelerar pagamentos aos fabricantes de peças.

No início deste mês, o maior risco para as montadoras japonesas era a crise na rede de fornecimento chinesa. Agora, a desaceleração na demanda nos mercados ocidentais rompeu completamente o panorama.

“O risco é que o fluxo de caixa estagnará em parceiros de negócios e que a produção cessará”, disse um executivo de uma montadora japonesa.
Fonte: Portal Mie com Asia Nikkei

Fiat, Renault e Toyota engrossam paradas de produção de veículos no Brasil

Posted in Notícias, produção de veículos with tags , , , , , , , , , on 21 de março de 2020 by vistoconsular

Paralisações sugerem forte queda no PIB no segundo trimestre

produção de veículos no Brasil
Fiat Chrysler (FCA), Renault e Toyota engrossaram na sexta-feira (20) anúncios de paralisação de produção de montadoras de veículos no Brasil a partir da próxima semana, sinalizando forte queda no PIB do segundo trimestre, uma vez que a indústria automotiva é responsável por cerca de 20% do produto industrial do país.

Mais cedo nesta semana, General Motors e Mercedes-Benz também haviam anunciado paradas, concedendo férias coletivas a milhares de funcionários. Volkswagen e Volvo fizeram o mesmo com suas unidades industriais no Paraná.

A indústria automotiva é responsável por 3% do PIB geral do país e por 18% do PIB industrial. O setor já iniciou contatos com o governo, reforçando o coro de outros segmentos da economia, por medidas que aliviem o impacto causado pela forte queda na demanda provocado pelo pânico em torno do coronavírus.

Nesta sexta-feira, o presidente da General Motors na América do Sul, Carlos Zarlenga, disse em teleconferência com membros do governo federal, que incluiu o presidente Jair Bolsonaro e transmitida ao vivo pela TV pública, que a indústria de veículos “será uma das mais impactadas pela crise”. Ele foi um entre vários empresários apresentando a situação para o governo.

Defendendo medidas que ajudem a reduzir o impacto do coronavírus no setor, como garantia de liquidez e redução de custos trabalhistas, Zarlenga afirmou que “Vamos precisar de muita flexibilidade laboral…a ideia é segurar o emprego o máximo possível.”

O setor, que emprega cerca de 126 mil trabalhadores no Brasil, tem hoje estoque para 40 dias de vendas, mas com a interdição de uma série de estabelecimentos comerciais, incluindo concessionárias de veículos em várias regiões do país, este inventário passará a representar custo financeiro para o setor, informou a associação de montadoras Anfavea.

A associação começou o ano com expectativa de crescimento do PIB de 2,5% em 2020 e com previsão de alta na produção de veículos de 7,3%, “mas agora elas (estimativas) ficarão como documento histórico”, comentou um porta-voz da entidade.

Segundo a Anfavea, até meados desta semana as vendas de veículos novos neste ano estavam subindo em linha com a expectativa de alta de 9,4% em 2020, com licenciamentos de 542.120 unidades. Mas Zarlenga afirmou que as vendas agora “estão caindo de forma repentina. Estamos operando quase 50% menos vendas em todos os Estados”.

Paradas
A Fiat Chrysler afirmou que começa a parar em 24 de março, com paralisação total a partir de três dias depois. A empresa, que tem cerca de 10 mil funcionários no Brasil divididos em três fábricas (Betim-MG, Goiana-PE e Campo Largo-PR), espera retomar a produção em 21 de abril.

Já a Renault vai suspender atividade no complexo industrial de São José dos Pinhais (PR), que abriga quatro fábricas, de 25 de março a 14 de abril, deixando cerca de 7.500 funcionários em férias coletivas. A Toyota, que emprega 6 mil trabalhadores no país, concentrados em São Paulo, para suas quatro fábricas em 24 de março e prevê reiniciar a produção em 6 de abril.

Também na lista de anúncios de paralisações, a Volkswagen Ônibus e Caminhões, que emprega cerca de 4.500 funcionários em um complexo industrial em Resende (RJ), vai interromper atividade entre 30 de março e 20 de abril.

E já de olho na futura queda na demanda dos clientes, a fabricante de pneus Pirelli decidiu suspender por tempo indeterminado a produção na América do Sul, paralisando fábrica na Argentina a partir desta sexta-feira e outras três no Brasil a partir da segunda-feira. A companhia emprega na região cerca de 8 mil pessoas, que entrarão em férias coletivas.

A analista Stephanie Brinley, da empresa de pesquisa de mercado His Markit, afirmou esperar que a produção de veículos na América do Sul caia em cerca de 98 mil unidades entre março e abril. “Tenho certeza que até segunda-feira esse número será revisado”, disse ela. “É uma situação muito volátil.”
Fonte: Alternativa com Reuters

Japão tem 8 casos de falências de empresas ligados ao coronavírus

Posted in Japão, Notícias with tags , , , , , , , , , , on 12 de março de 2020 by vistoconsular

A maioria das empresas que faliu está na área do turismo, incluindo uma operadora de cruzeiro, outra de hotel e uma agência de viagens

malas japao
Oito casos de falências devido às consequências da propagação do novo coronavírus ocorreram no Japão, disse na quarta-feira (11) a empresa de pesquisa de crédito Teikoku Databank.

Nas empresas que faliram, o surto viral levou a diminuições no número de clientes ou a uma enxurrada de cancelamentos de reservas, disse.

Três dos oito casos foram na região Kinki, e um em cada em Hokkaido, Tohoku, Hokuriku, Chubu e Chugoku.

Grande parte das firmas que faliu estava na indústria do turismo, incluindo uma operadora de cruzeiro, outra de hotel e uma agência de viagens.

Até agora não houve casos de falências confirmadas que foram causadas diretamente pelo surto viral, de acordo com a Teikoku Databank.
Fonte: Portal Mie com Jiji

Abe se apressa para aprovar estado de emergência, veja o que pode mudar

Posted in Japão, Notícias, primeiro ministro do Japão with tags , , on 6 de março de 2020 by vistoconsular

O Primeiro-Ministro se reuniu com políticos da situação e oposição para aprovar a declaração de estado emergência por causa do novo coronavírus

shinzo abe1
Já passa de mil pessoas infectadas pelo novo coronavírus, somando os passageiros do cruzeiro Diamond Princess e de dentro do Japão. Até as 7h de quinta-feira (5) são 1.035, mas logo depois soube-se de novos pacientes, incluindo uma província de Chugoku, região onde era zero.

Na quarta-feira (4) Shinzo Abe, o primeiro-ministro, teve reuniões com os políticos para aprovar urgentemente a emenda da declaração do estado de emergência. “Diante dessa crise não há situação nem oposição”, disse ele. “Precisamos trabalhar em conjunto. A Lei de Medidas Especiais estipula que uma declaração de estado de emergência pode ser acionada em situação crítica”, explicou.

Até o momento o primeiro-ministro Abe solicitou controle dos eventos e fechamento temporário das escolas, mas o ponto principal dessa declaração é que ela será reforçada em etapas, passando de pedidos à instruções ou ordens.

O que pode mudar com a declaração de estado de emergência
Os pontos que poderão ser destacados caso isso aconteça são:

  • Instruções específicas para as instituições médicas e profissionais da saúde, além de vacinação e prioridade no transporte e entrega de suprimentos de emergência
  • Pedidos para armazenamento de roupas e alimentos
  • Solicitação para a população evitar de sair de casa sem necessidade
  • Uso de terrenos para construção de instalação médica
  • Restrições à realização de grandes eventos e instruções para restringir o uso de cinemas, teatros, casas de shows, etc. em locais com área de mais de mil metros quadrados
  • Instrução para fechar temporariamente creches e escolas

Se for decretado, quando?
O representante dos partidos da oposição disse que o papel do governo é evitar que isso aconteça pois tem a preocupação de limitar os direitos humanos. Porém, se o governo apresentar comprovações científicas dessa necessidade poderá apoiá-lo, já que essa declaração permitirá que medidas mais eficazes sejam tomadas rapidamente.

O governo considera enviar imediatamente um projeto da emenda a Dieta Nacional para aprovação, visando aprovação na próxima semana.
Fonte: Portal Mie com ANN, Asahi, FNN e NHK

Canon suspende operação de suas fábricas no Japão por tempo limitado

Posted in Fábrica no Japão, Japão, Notícias with tags , , , on 29 de fevereiro de 2020 by vistoconsular

Mais uma indústria suspende temporariamente a operação de suas plantas, no total de 5 do Japão, por causa do novo coronavírus

canon2
A internacionalmente conhecida indústria Canon informou na sexta-feira (28) que suspenderá temporariamente a operação de 5 de suas plantas do Japão por causa do novo coronavírus.

As 5 de Kyushu – Oita, Nagasaki e Miyazaki – ficarão paralisadas entre os dias 2 a 13 de março, porque as peças são produzidas na China e, com o Covid-19, está sem esse fornecimento.

As plantas são basicamente de produção de câmeras digitais e a indústria espera recuperar esse atraso em outra época, ainda este ano, provavelmente nos feriados.

Informou que está tomando medidas para garantir peças de outra forma e espera que as vendas domésticas não sejam prejudicadas.

Indústrias automobilísticas também anunciaram o mesmo nas plantas de Kyushu, afetando a produção interna.
Fonte: Portal Mie com JNN e ANN

%d blogueiros gostam disto: