Arquivo para economia japonesa

Produção aumenta em fábricas no Japão

Posted in economia do Japão, Fábrica no Japão, Japão, Notícias with tags , on 28 de dezembro de 2016 by vistoconsular

Produção das fábricas japonesas aumentaram e o cenário é de otimismo para os próximos meses

producao-no-japao

A produção em fábricas no Japão aumentou 1.5% em novembro em relação ao mês anterior, impulsionada pela demanda por partes eletrônicas e autopeças, mostraram dados do governo na quarta-feira (29).

O índice de produção em fábricas e minas situou-se a 99.9 contra a base de 100 em 2010, de acordo com um relatório preliminar do Ministério da Economia, Comércio e Indústria.

As empresas esperam elevar ainda mais o índice produtivo nos próximos meses, destacando a perspectiva do banco central de que uma melhoria na demanda global pode sustentar uma contínua recuperação econômica.

Segundo previsões de fabricantes entrevistadas pelo ministério, a produção poderá ter um aumento de 2.0% em dezembro e de 2.2% em janeiro, um sinal de que as indústrias do Japão estão mais otimistas em relação ao panorama da demanda do exterior.

A economia japonesa registrou um terceiro trimestre consecutivo de expansão anual no período de julho a setembro, ainda que em um modesto ritmo, enquanto o fraco crescimento salarial pesou nos gastos do consumidor.

Entretanto, as exportações e produção em fábricas mostraram sinais de vida recentemente em uma recuperação na demanda global, oferecendo alguma esperança para os elaboradores de políticas que estão se esforçando para tirar a economia da estagnação.

O Banco do Japão apresentou uma visão otimista da economia em seu índice de revisão na semana passada, enquanto o governo melhorou sua avaliação da economia em dezembro, pela primeira vez em cerca de 2 anos.
Fonte: Portal Mie com Nikkei

Anúncios

Produção industrial do Japão subirá em 2014, diz Banco do Japão

Posted in Banco do Japão, economia do Japão, Produção industrial do Japão with tags , on 25 de dezembro de 2013 by vistoconsular

Banco do Japão (BoJ)O Banco do Japão (BoJ), na sigla em inglês) demonstrou otimismo em relação á produção industrial e às exportações no primeiro trimestre de 2014, indicando que a economia japonesa deve ganhar força nos próximos meses. O BoJ publicou há pouco o seu relatório econômico mensal.

"No primeiro trimestre, a produção industrial deve avançar diante da recuperação moderada da economia doméstica e internacional", explicou o BoJ.

Além disso, o banco central revelou que a melhora da demanda antes do aumento do imposto sobre vendas deve impulsionar a produção industrial no quarto trimestre deste ano e entre janeiro e abril de 2014.

"O consumo privado e os investimentos em habitação, embora com algumas oscilações, devem permanecer resistentes, apoiados principalmente pela melhoria da situação do emprego e da renda", disse o BoJ.

Os membros do BoJ estarão atentos a qualquer fraqueza que o consumo apresente após o aumento do imposto sobre vendas que passará de 5% para 8% a partir de abril do ano que vem.

Além disso, o banco central japonês acredita que as exportações devem aumentar moderadamente diante da retomada das economias no exterior.

O BoJ também observou que a recuperação das exportações e do investimento de capital são importantes para que a economia do Japão acelere o ritmo de crescimento.

Na atual conjuntura econômica, o BoJ manteve o ponto de vista apresentado em novembro de que "a economia do Japão está se recuperando moderadamente." O banco central porém vislumbra dificuldades antes e depois do aumento do imposto sobre vendas. Fonte: O Estado de S. Paulo com Market News International

Japão aprova medidas para crescimento

Posted in economia do Japão with tags on 15 de junho de 2013 by vistoconsular

OJapão aprova medidas para crescimento governo do Japão aprovou uma série de medidas ontem para impulsionar o crescimento econômico, que até agora não conseguiu impressionar os mercados e fez o primeiro-ministro Shinzo Abe prometer mais ações após as eleições para o Senado no próximo mês.

A estratégia de crescimento faz parte do plano de retomada econômica que também inclui uma política monetária ultrafrouxa e grandes gastos do governo. O plano, apresentado em partes nos últimos meses, tem sido recebido com baixo interesse por parte de investidores e analistas.

As medidas de crescimento incluem criação de zonas econômicas especiais, incentivos para aumentar o investimento privado e a participação das mulheres na força de trabalho, assim como medidas de desregulação em alguns setores. Mas o desapontamento com a ausência de medidas como redução nos impostos corporativos e liberalização do mercado de trabalho e setor agrícola aceleraram a queda nas ações japonesas.

Em resposta, o governo incluiu uma proposta para oferecer isenções fiscais a empresas que investirem em novos equipamentos e instalações. “A estratégia de crescimento decidida hoje (ontem) será o ponto de partida”, disse Abe em mensagem por vídeo. “Eu vou garantir estabilidade política e no outono (boreal)lançarei a segunda rodada da estratégia de crescimento.”

A economia japonesa está recuperando o ritmo, depois de expandir a uma taxa anualizada de 4,1% no primeiro trimestre com ajuda da melhora da demanda global, alívio aos exportadores com o iene mais fraco e confiança do consumidor e empresarial melhores. Tudo provocado pelo estímulo monetário sem precedentes do banco central japonês.
Fonte: Estadao com Reuters

Banco do Japão busca meta de inflação de 2% ao ano

Posted in Banco do Japão with tags on 6 de abril de 2013 by vistoconsular

O Banco do Japão anunciou medidas para tentar expandir drasticamente a base monetária do país e, com isso, procurar estimular novamente o crescimento da terceira maior economia global.

bank of japanNesta nova fase de flexibilização monetária, o banco central se comprometeu a alcançar uma inflação anualizada de 2% em no máximo dois anos.

Dentro das novas medidas, o banco central japonês produzirá operações no mercado monetário de modo que a base monetária aumente a um ritmo anual entre US$ 645 e US$ 755 bilhões.

As agressivas medidas foram anunciadas após dois dias de reunião com o novo presidente do banco, Haruhiko Kuroda, e tem como principal objetivo estimular a debilitada economia japonesa, que luta há quase uma década contra a deflação.

Economistas dizem que a queda de preços por longos anos afastou os japoneses das compras e as empresas deixaram de investir e que uma leve inflação seria, na verdade, essencial para a saúde de uma economia moderna.
Fonte: BBC Brasil

Iene forte desacelera produção industrial do Japão

Posted in Produção industrial do Japão with tags on 31 de agosto de 2011 by vistoconsular

fábrica toyota

Após dois meses de recuperação, a produção industrial do Japão sofreu uma desaceleração em julho, quando registrou um crescimento de 0,6% em relação ao mês anterior.

A queda foi causada principalmente pela forte valorização do iene e pela queda nas exportações para a China. A economia de energia elétrica imposta pelo governo japonês também contribuiu para a retração.

Mesmo assim, foi o quarto mês consecutivo de crescimento, o que sugere que o país está se recuperando das consequências do forte terremoto seguido de tsunami que destruíram parte do país em março passado.

Em junho, segundo dados do governo, o crescimento tinha sido de 3,8%. De qualquer forma, o setor manufatureiro já antecipou que espera um crescimento de até 2,8% para o mês de agosto, impulsionado pela demanda interna por produtos para o verão.

Segundo a avaliação divulgada pelo Ministério da Economia, “a tendência é de recuperação”.

Outro fator importante que influenciou no fraco desempenho do setor manufatureiro foi a lenta recuperação da indústria automotiva japonesa.

Dados apresentados hoje pela Associação Japonesa de Fabricantes de Veículos mostram que a produção teve uma queda de 8,9% em julho em relação ao ano anterior. Foi o décimo mês de queda consecutiva.

O presidente da entidade, Toshiyuki Shiba, já pediu ao novo primeiro-ministro, Yoshihiko Noda, que revitalize o mais rápido possível a economia japonesa.

Entre as principais reivindicações estão a desvalorização do iene, a ampliação de acordos de parceria econômica e a garantia de fornecimento estável de eletricidade.
Fonte: BBC Brasil