Japão quer aumentar trabalhadores estrangeiros temporários para a construção

Posted in construção civil no Japão, governo japonês, trabalho no japao with tags on 4 de abril de 2014 by vistoconsular

Atualmente existem cerca de cinco milhões de trabalhadores no setor da construção, número que traduz uma quebra de 30% desde 1997

Japão quer aumentar trabalhadores estrangeiros temporários para a construçãoO Governo japonês aprovou hoje um plano para aumentar a entrada de trabalhadores estrangeiros temporários para a construção civil diante à falta de mão-de-obra no setor e perante os Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020.

O plano vai alargar de três para cinco anos a duração das autorizações que permitem aos cidadãos, sobretudo de países emergentes, trabalhar no Japão temporariamente.

O programa, a ser aplicado entre 2015 e 2020, poderá permitir duplicar até 30 mil o número daqueles que entram legalmente no Japão para trabalhar no setor da construção, indica o Japan Times.

O Japão tem-se deparado ao longo da última década com uma diminuição significativa do número de operários da construção civil, situação que preocupa o Governo para a realização, em 2020, dos Jogos Olímpicos de Tóquio, e a continuação dos trabalhos de reconstrução do desastre de março de 2011.

Neste sentido, uma das estratégias passa por impulsionar a despesa em obras públicas, a qual caiu consideravelmente desde 2001.

Atualmente existem cerca de cinco milhões de trabalhadores no setor da construção, número que traduz uma quebra de 30% desde 1997.

Além disso, este setor vive a braços com o problema do rápido envelhecimento da força laboral do Japão, já que 30% tem idade igual ou superior a 55 anos, enquanto apenas 10% tem menos de 30 anos.

O Governo japonês não descarta a possibilidade de aplicar medidas idênticas para aumentar o número de trabalhadores estrangeiros temporários noutros setores como a indústria e a agricultura, que se deparam com problemas idênticos ao da construção.
Fonte: IPC Digital

Panasonic faz boas previsões de lucros

Posted in Panasonic with tags on 28 de março de 2014 by vistoconsular

A companhia disse que deverá investir neste ano fiscal e no próximo ao menos ¥300 bilhões em reestruturação

PanasonicA Panasonic divulgou planos de atingir receita recorde em cinco anos, enquanto aumenta os gastos com uma reestruturação que está transformando a ex-líder de eletrônicos para consumidores em uma fornecedora para empresas.

A meta é quase dobrar as vendas para o setor automotivo até março de 2019, ter alta de 50 por cento no setor imobiliário e um aumento de um terço na unidade de negócios com empresas que inclui aviação, energia e logística.

Enquanto a Panasonic encolhe ou abandona negócios não rentáveis após ter registrado prejuízo líquido combinado de 15 bilhões de dados nos dois últimos anos fiscais, a companhia divulgou na quinta-feira que deverá investir neste ano fiscal e no próximo ao menos 300 bilhões de ienes na reestruturação.

A empresa encerrou um complexo de produção de TV de plasma próximo a Osaka, oeste do Japão, enquanto vendeu também fábricas de chips tanto no Japão como no exterior para empresas estrangeiras, apesar de ter mantido uma operação de LCD em dificuldades que deverá continuar perdendo dinheiro no ano fiscal de 2014 e 2015.

A empresa pretende atingir 10 trilhões de ienes (98 bilhões de dólares) em receitas em 2018/2019, um terço a mais que os 7,4 trilhões de ienes que projeta para o atual ano fiscal que se encerra em 31 de março.
Fonte: Alternativa

Toyota vai aumentar a média salarial de seus funcionários

Posted in Toyota with tags , on 11 de março de 2014 by vistoconsular

O reajuste não atende o pedido do sindicato da empresa

Toyota vai aumentar a média salarial de seus funcionáriosNo início do ano, o sindicato dos trabalhadores do grupo Toyota Motors realizaram uma reunião solicitando um aumento do salário base de todos os funcionários e a empresa divulgou ontem que decidiu aumentar em 2,7 mil ienes a média do salário mensal de seus contratados, informa a agência Kyodo.

É o primeiro aumento concedido pela montadora em seis anos. Apesar da elevação do salário, o Sindicato da Toyota havia solicitado um aumento próximo aos 4 mil ienes.

Com o aumento, espera-se que a decisão incentive outras empresas e assim atender aos apelos do primeiro-ministro Shinzo Abe, que recentemente sugeriu as empresas de todo o país a elevarem os salários.

“É importante que as empresas no país aumentem os salários de seus funcionários”, declarou o premiê na semana passada.

A negociação liderada pelo sindicato da Toyota pode causar impacto nas negociações de outras indústrias.
Fonte: IPC Digital

Brasileiro Issao Mizoguchi é nomeado chefe de operações da Honda na América do Sul

Posted in Honda with tags , on 25 de fevereiro de 2014 by vistoconsular

Montadora também apontou, pela primeira vez, uma mulher para o conselho de diretores da empresa

Honda: Hideko Kunii e Issao Mizoguchi A Honda Motor apontou, nesta segunda-feira, o brasileiro Issao Mizoguchi para chefiar as operações da montadora japonesa na América do Sul.

Com a nomeação, Mizoguchi, que atualmente é vice-presidente de operações da companhia na América do Sul e presidente da Moto Honda da Amazônia, se tornará o primeiro executivo brasileiro a assumir a liderança das operações da empresa em um de seus seis blocos de negócios.

Nesta segunda-feira, a Honda também indicou, pela primeira vez, uma mulher para seu conselho de diretores.

A professora do Instituto de Tecnologia de Shibaura, Hideko Kunii, assumirá um dos cargos de diretoria do conselho, destinados aos profissionais que não possuem posto executivo na montadora. As mudanças serão válidas a partir de 1º de abril.

Grandes empresas japonesas estão sob pressão para diversificar suas diretorias e melhorar a governança, gerenciamento de risco e perspectiva global. Tradicionalmente, as empresas do país nomeiam para suas diretorias e conselhos homens que fizeram carreiras dentro das próprias companhias.
Fonte: IPC Digital com Reuters

Neve afeta produção de 5 montadoras

Posted in Honda, Nissan, Produção das montadoras japonesas, Subaru, Suzuki, Toyota with tags on 17 de fevereiro de 2014 by vistoconsular

A Toyota paralisou quatro unidades e a falta de peças também atingiu a Suzuki, a Nissan, a Honda e a Subaru

Linha de produção da HondaA Toyota Motor Corp disse nesta segunda-feira que suspendeu as operações em quatro fábricas do Japão após uma pesada nevasca no país ter interrompido sua cadeia de fornecimento de peças.

A Toyota suspendeu as operações na fábrica de Takaoka (Toyama), onde fabrica veículos como o Corolla, na unidade de Tsutsumi (Aomori), onde produz o Prius e outros carros, na unidade de Motomachi (Toyota, Aichi), onde fabrica o Crown e outros veículos, e na fábrica de Tahara (Aichi), onde faz o Lexus LS entre outros carros, disse o porta-voz Ryo Sakai.

A empresa ainda não decidiu quando vai retomar as operações nas usinas, disse Sakai.

A Suzuki interrompeu parte da produção em três unidades na província de Shizuoka: Kosai, Iwata e Sagara. A empresa informou que as linhas voltarão a funcionar quando o fornecimento de peças se normalizar.

A Nissan paralisou parte da produção na fábrica em Tochigi, sem prazo para voltar ao normal. Nessa unidade, são produzidos carros como Skyline, Cima e Fuga.

A Honda foi afetada parcialmente em duas unidades na província de Saitama desde sexta-feira. A fábrica de Sayama voltou a funcionar nesta segunda-feira e a de Yorii deve se normalizar na terça-feira.

A Subaru teve parte da produção paralisada na linha de montagem de Ota e na fábrica de motores de Oizumi, ambas em Gunma.
Fonte: Alternativa com Reuters

Índice de desemprego do Japão atinge menor nível desde 2007

Posted in Emprego no Japao, trabalho no japao, vaga no Japão with tags , on 31 de janeiro de 2014 by vistoconsular

Índice ajustado sazonalmente caiu para 3,7 por cento em dezembro, ante 4 por cento em novembro

Índice de desemprego do Japão atinge menor nível desde 2007A taxa de desemprego do Japão caiu em dezembro para a mínima de seis anos e a disponibilidade de vagas chegou ao maior nível em seis anos, mostraram dados do governo, sugerindo que um mercado de trabalho mais apertado poderá ajudar o Banco do Japão a cumprir sua meta de inflação.

O índice ajustado sazonalmente caiu para 3,7 por cento em dezembro, ante 4 por cento em novembro, de acordo com dados do Ministério do Interior e Comunicação. A expectativa do mercado era de 3,9 por cento, em média.

A relação vaga-candidato subiu para 1,03 em dezembro, ante 1,00 em novembro, superando a previsão de analistas ouvidos pela Reuters, de 1,01. A leitura representa o maior nível desde setembro de 2007, quando a relação também ficou em 1,03.

A oferta de novos empregos cresceu 2,8 por cento em dezembro na comparação ao mês anterior e 10,9 por cento em relação ao mesmo mês do ano anterior.
Fonte: IPC Digital com Reuters

Apenas 17% das empresas vão aumentar os salários como pede Abe

Posted in economia do Japão, empresas japonesas with tags , on 3 de janeiro de 2014 by vistoconsular

Pesquisa mostra pouca ousadia nas grandes empresas do país

Apenas 17% das grandes empresas japonesas planejam aumentar os salários no próximo ano fiscalApenas 17% das grandes empresas japonesas planejam aumentar os salários no próximo ano fiscal, que se inicia em abril, apesar dos apelos do Governo que procura um aumento dos vencimentos para que o consumo não caia e prejudique a tímida reação da economia interna do país.

Uma sondagem publicada hoje pela agência Kyodo mostra que 18 das 104 empresas entrevistadas pensam incluir uma atualização salarial, com 71% que acreditam no crescimento da economia japonesa em 2014.

Realizada durante a primeira quinzena de dezembro, a sondagem revela que a maioria das grandes empresas do país mostra-se cautelosa perante as subidas salariais propostas pelo Governo do primeiro-ministro, Shinzo Abe.

Apenas uma empresa disse que o seu plano para 2014 passa antes por reduzir o salário dos seus funcionários.Relativamente ao estado da economia japonesa, 101 empresas indicaram que se vive uma "tendência de crescimento", contudo, reconheceram estar preocupadas com o impacto negativo que a subida do imposto sobre o consumo pode implicar.

Quase 40% das empresas reconhecem temer que se verifique uma queda nas vendas devido a uma redução do poder de compra dos consumidores.
Fonte: IPC Digital

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.